DocLisboa 2016

Na 14ª edição do DocLisboa – Festival Internacional de Cinema, teremos a oportunidade de ver 259 documentários de 41 países, sendo que 46 destes são filmes portugueses!

doclisboa-2016

Partindo das perguntas: Como é que um filme pode dar-nos a experimentar o real? E, como é que um conjunto de filmes, podem conferir a um festival de cinema a capacidade de se constituir como experiência partilhada do mundo, do passado e do presente, intuindo assim a vida e o seu futuro? A Apordoc – Associação pelo Documentário- construiu a programação do DocLisboa para este ano.

Secções do DOCLisboa 2016

Competição Internacional

São 18 filmes, provenientes de 13 países, 6 dos quais em estreia mundial. Uma selecção de obras de diferentes abordagens, formatos e durações, desenhando um mapa do cinema contemporâneo e a intuição dos horizontes que ele vai abrindo.

Competição Nacional

São 12 filmes, representativos da diversidade de olhares, práticas e linguagens do cinema, em Portugal, sem limite de formatos ou durações.

doclisboa-retrospectiva-por-um-cinema-impossivel

Por um Cinema Impossível: Documentário e Vanguarda em Cuba

Com a mudança radical da realidade cubana, nos anos 1960, e por oposição política e estética ao cinema de Hollywood, nasce um novo cinema em que o documentário tem um papel primordial. Esta retrospectiva, com curadoria de Michael Chanan, feita em parceria com o Museo Reina Sofia e em colaboração com a Cinemateca de Cuba, traz-nos o trabalho desta nova vaga de documentaristas cubanos – que tem em Santiago Álvarez e Julio García Espinosa as suas figuras centrais –, perspectivando-o com as obras de cineastas estrangeiros que mantiveram relações com Cuba, na década de 1960 – destaques para Agnès Varda, Chris Marker e Joris Ivens.

Da Terra à Lua

A nova secção do Doclisboa estreia, fora de competição, os mais recentes filmes de realizadores chave do panorama documental e traz-nos uma selecção de obras que nos dão a ver o mundo de hoje e o futuro que para ele se parece desenhar. Uma viagem que coloca em perspectiva o nosso presente colectivo, nos seus diferentes lugares, e onde serão mostradas as mais recentes obras de Wang Bing, Avi Mograbi, Werner Herzog e Rithy Panh, entre outros.

Heart Beat

David Bowie, Muhammad Ali, Mapplethorpe, Sidney Lumet e David Lynch são alguns dos protagonistas desta secção que, este ano, se debruça sobre um variado leque de manifestações artísticas. Em português, lança-se um olhar sobre a vida e obra do ceramista Querubim Lapa e do arquitecto Álvaro Siza e faz-se uma incursão ao universo da Príncipe Discos e dos Linda Martini. Depois, uma viagem ao funk do Brasil e à nova vanguarda da música africana, passando pela recente incursão de Paul Thomas Anderson na música indiana. Sobra espaço ainda para uma reflexão sobre o universo da pornografia pela voz de Rocco Siffredi.

doclisboa-peter-watkings

Retrospectiva Peter Watkins

Activo entre meados dos anos 1950 e os anos 1990 e laureado com um Óscar de melhor documentário em 1966, com The War Game, Watkins é um dos pioneiros do docudrama e do falso documentário. É também um dos principais expoentes do cinema político e de resistência, questionando e criticando o papel da comunicação social em temas urgentes como a questão nuclear e o poder instituído, conhecido também pela dissecação e reconstrução de episódios históricos, numa atitude assumidamente revisionista. No cerne da obra de Watkins, está a crítica aos meios audiovisuais enquanto instrumentos de poder.

Riscos

Secção onde o real e a sua representação se desafiam e dialogam na tentativa de mapear um cinema complexo, pronto a questionar-se e abrir novos caminhos. Sem impedimentos de género ou duração, olhando também para o passado como fonte inesgotável de novidade, encontra-se o cinema de Boris Lehman, Peter Hutton (programado por Luke Fowler e Rinaldo Censi) ou Masao Adachi (que regressa à realização). Destaque ainda para a sessão programada por Manon de Boer.

Cinema de Urgência

Temas pertinentes, que precisam de ser falados. Entrada livre mediante levantamento de bilhete no próprio dia a partir das 20h. A entrada nas sessões será mediante um donativo aos Bombeiros Voluntários Lisbonenses, que dará direito a um autocolante que permitirá levantar um bilhete para a sessão.

Verdes Anos

Uma selecção de 23 filmes portugueses, de jovens realizadores e de estudantes das mais diversas áreas. Verdes Anos é uma plataforma de reflexão, diálogo e exposição a um público alargado. Este ano, pela primeira vez, a secção tem uma competição e júri próprios. Serão ainda mostrados filmes de alunos do departamento de Media Art da Universidade de Karlsruhe, universidade internacional associada da 14ª edição do Doclisboa.

Doc Alliance

Uma selecção de filmes nomeados pelos mais importantes festivais de documentário da Europa. A selecção Doc Alliance é composta por 6 filmes, incluindo o grande vencedor do Prémio Doc Alliance 2016, anunciado na passada edição do Festival de Locarno, Gulîstan, Land of Roses, de Zaynê Akyol.

Festas & Actividades Paralelas

DOCLISBOA 2016 | 20 a 30 de Outubro | Culturgest – Cinema São Jorge – Cinemateca Portuguesa – Museu do Cinema – Museu Calouste Gulbenkian – Museu Fundação Oriente | ProgramaçãoPrograma em PDF | Bilhetes

Beijinhos :* Ana Paula

Recebe todas as novidades de Lisboa directamente no e-mail, subscreve a nossa Newsletter!

Todas as quintas-feiras partilho convosco as sugestões para o fim de semana.
Para os restantes dias, espreita o Facebook, o Twitter ou o Instagram ;)

Facebook Comments